II Fórum Brasileiro de Avaliação do Ciclo de Vida: confira as principais notícias do primeiro dia de evento

Publicado dia 09/05/2017

“As parcerias é que vão fazer a diferença daqui para frente”, diz vice-prefeita de Jaguariúna

O II Fórum Brasileiro de Avaliação do Ciclo de Vida (II BRACV) começou no dia 9 de maio, na Embrapa Meio Ambiente, em Jaguariúna, São Paulo. Promovido pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), em parceria com a Embrapa e com a Fundação Espaço ECO® (FEE®), o evento tem por objetivo garantir um espaço de discussão entre pesquisadores, agentes governamentais e empresários que trabalham com o tema de Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), a partir de debates e minicursos.

ThiagoRodrigues

Thiago Rodrigues

Cerimônia de abertura
O especialista em ACV no IBICT e membro do comitê organizador, Thiago Rodrigues, abriu o evento, que contou ainda com uma homenagem ao professor Rogerio Valle, feita pela engenheira ambiental e secretária executiva do Fórum, Marina Santa Rosa. O professor foi um dos organizadores do I Fórum Brasileiro de ACV (2015) e faleceu em março deste ano.

A mesa de abertura teve a participação de Marcelo Augusto Morandi, chefe geral da Embrapa Meio Ambiente, que explicou a função da instituição para o Brasil, dizendo que parte da missão da empresa é a busca por ferramentas e métricas de sustentabilidade. Juliana Andrade, gerente de socioeficiência da FEE, afirmou que o principal objetivo do Fórum é a promoção de temas e de discussão técnica, além de fortalecer a ACV no país, corroborando com a missão da FEE, que busca ferramentas para tomadas de decisão baseadas em processos mais sustentáveis.

marina

Marina Santa Rosa

Tiago Braga, coordenador do projeto de ACV do IBICT, disse que o Instituto tem a missão de disponibilizar informações nessa área e que estava muito feliz em participar de um evento que permite a discussão e o aprofundamento da temática em vários níveis. “A realização do BRACV ressalta o compromisso do governo de discutir questões relativas à sustentabilidade, nesse caso através da ferramenta de ACV”, completa. Já a vice-prefeita de Jaguariúna, Rita de Cássia Bergamasco, informou que o município participa do Programa Cidades Sustentáveis e trabalha fortemente para atingir os objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, da ONU. “As parcerias é que vão fazer a diferença daqui para frente para superar as dualidades que os municípios e o país vêm enfrentando. Para Jaguariúna é uma honra receber um evento que discute a questão ambiental.”

DSC_0067 (2)

Da esquerda para a direita: Juliana Andrade, Rita de Cássia Bergamasco, Marcelo Augusto Morandi e Tiago Braga

 

Status da ACV no Brasil, atualidade e perspectivas

Na primeira palestra do Fórum, Tiago Braga apresentou o Programa Brasileiro de ACV, iniciativa composta por diversas entidades, incluindo órgãos de governo, instituições acadêmicas, de pesquisa e associações e entidades industriais. Na temática de Banco de dados, Braga listou algumas iniciativas e afirmou que “O Brasil está na vanguarda, em nível mundial, na questão da qualidade e usabilidade dos dados de ACV”.

DSC_0077 (2)Marília Folegatti, pesquisadora da Embrapa e membro da comissão organizadora do BRACV, falou sobre as áreas temáticas de Inventários de Ciclo de Vida. “A comunidade de ACV, ainda pequena, é muito colaborativa. É nessa força e na aproximação com a comunidade internacional que a ACV vai avançar no Brasil”.

Os grupos temáticos que nortearam as discussões do II Fórum BRACV conversam com os grupos que estruturam o PBACV, são eles: banco de dados, inventários, avaliação de impactos; difusão, implementação e comunicação da ACV; e formação e capacitação.

 

Visão geral da ACV no mundo e perspectivas futuras

Llorenç Milà i Canals, representante do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA/UNEP), participou do evento por meio de uma apresentação gravada, em que apresenta um panorama sobre a importância das ações em ACV no mundo, a importância de sua aplicação envolvendo agentes políticos, a academia, a indústria e os consumidores, bem como questões relativas ao uso de recursos de eficiência energética e economia circular.

 

Guia Qualidata

DSC_0081 (2)Eduardo Toshio Sugawara, da Fundação Espaço ECO apresentou a equipe executora do Guia Qualidata, que define padrões de Qualidade para o Banco Nacional de Inventários do Ciclo de Vida – SICV Brasil. A publicação traz orientações fundamentais sobre os dados que devem compor um inventário, garantindo consistência e qualidade aos inventários dos produtos brasileiros. Segundo Toshio, “o objetivo do documento é propiciar uniformidade e transparência para os conjuntos de dados brasileiros que constarão no SICV Brasil”, finaliza.

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn