Projeto ACV de A a Z: saiba como foi a participação do IBICT no evento-piloto

Publicado dia 26/10/2017

A ideia principal foi discutir sobre como temos utilizado nossos recursos naturais, quais são as consequências para o meio ambiente e a qualidade de vida da sociedade

O evento-piloto do projeto ACV de A a Z aconteceu na Universidade Tecnológica Federal do Paraná em Curitiba (PR), entre os dias 18 e 20 de outubro, com a presença do especialista em ACV do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), Thiago Rodrigues.

Na sessão de abertura do evento, Thiago apresentou a palestra Pensamento do Ciclo de Vida para a construção de políticas públicas sustentáveis. Esta apresentação foi orientada à conscientização do setor público.

“A ideia principal foi discutir sobre como temos utilizado nossos recursos naturais, quais são as consequências para o meio ambiente e a qualidade de vida da sociedade”, relata Thiago, que ainda abordou a importância da compreensão dos ciclos de vida dos vários produtos que consumimos e como a ACV pode e tem amparado na elaboração de políticas públicas sustentáveis no Brasil.

Em outra ocasião, já na fase de treinamento, o especialista explicou a importância de bancos de dados de ACV regionalizados, o desenvolvimento do Banco Nacional de Inventários do Ciclo de Vida (SICV Brasil) e a necessidade de desenvolvimento de um padrão de qualidade para os conjuntos de dados submetidos ao SICV.

“Foi pensando neste padrão de qualidade que nasceu o guia Qualidata”, diz Thiago, ao descrever o documento construído numa parceria entre ele e Tiago Braga (representando o IBICT), Marília Folegatti (EMBRAPA), Diogo Silva, (UFSCar), Eduardo Sugawara (Fundação Espaço Eco – FEE) e Cássia Ugaya (UTFPR).

O guia foi lançado no II Fórum Brasileiro de Avaliação do Ciclo de Vida (BRACV), que aconteceu em maio de 2017 e tem como objetivo orientar a submissão de conjunto de dados para o SICV Brasil de acordo com os requisitos mínimos exigidos de documentação e garantir que estejam disponibilizadas as informações necessárias para o usuário interpretar os resultados sem restringir métodos de elaboração de conjuntos de dados.

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn